Arquivo da tag: 2014

Novo Ford Focus 2014 sedan

No mês passado fui à convite da Ford para São Paulo conhecer duas novidades. A primeira é o novo Ford Focus Sedan com seu inédito motor de injeção direta de combustível flex e a segunda é uma experiência única criada para conhecer a novidade.

NOVO FOCUS SEDAN 2014  10 copy

A Ford tem se superado em seus eventos de lançamento, colocando suas crias inéditas e revolucionárias em lugares únicos e que despertam muito mais do que curiosidade e desejo. Para o Ford Focus sedan 2014 a Ford colocou várias unidades no prédio da Bienal em São Paulo. Lugar cheio de histórias e componentes ímpares e inéditos quando foi construído. 

IMG 4984 copy

Dentro do prédio da Bienal a Ford montou diversas experiências como um Cinema com trechos de filmes onde aparecem carros do logo oval azul, jogo interativo para estacionar carros virtuais e um cinema 4D (quase!), sem falar no sem número de carros para experimentar, sentar, buzinar e apreciar. Eu babei.

IMG 4971 copy

O Focus 2014 é feito na Argentina e importado para o Brasil com motor desenvolvido pela equipe de engenharia brasileira. Apesar de ter sido preparado, projetado e temperado com elementos nacionais, o motor é montado no México. O motor é o Duratec 2.0 Direct Flex, primeiro motor de injeção direta de combustível flexível do mundo. 

IMG 4942 copy

A apresentação que a Ford preparou foi fenomenal, ainda que talvez tenha sido assim apenas para mim. Este tipo de evento para impressa e mídia social costuma seguir um duro e tedioso caminho de reafirmar passos vitoriosos do passado, contextualizar decisões compatíveis com o novo mundo em constante mutação e despejar detalhes técnicos sobre os produtos mostrando por que eles se diferenciam da concorrência.

Desta vez não foi diferente, mas para os detalhes técnicos colocaram um engenheiro travestido de executivo que estava visivelmente desconfortável com o seu papel de apresentar todas as inovações técnicas do fabuloso motor Direct Flex. Se todo mundo ficou entediado com as números, gráficos e outras fantásticas informações que o gajo apresentava, eu estava no paraíso. Se existe um momento onde o termo pornografia automotiva pode e deve ser empregado, este foi o momento. O caboclo explicava como sua equipe desenvolveu o motor e como ele funcionava em detalhes tão íntimos que em determinado momento durante as perguntas e respostas o presidente da Ford Brasil fez uma brincadeira com o engenheiro pedindo para ele não contar tudo. 😉

Eu simplesmente adorei, ainda que talvez eu tenha sido o único que tenha realmente apreciado o papo “chato” sobre o motor. Aliás, a cada evento da Ford, parece que todas as conversas que tenho com engenheiros e executivos da montadora se tornam realidade. Durante o lançamento do Ford New Fiesta em Punta Del Este, conversei com um grande executivo durante o jantar e abordamos  motores, estratégias de longo prazo e câmbios. As diferenças entre carros europeus, americanos e os brasileiros também. Foi uma longa conversa e dois anos depois, reencontrei o mesmo executivo no lançamento de outro produto da montadora e pra minha surpresa, ele veio até mim e perguntou de forma direta e objetiva: “E aí? Você está feliz agora?” Eu soltei um sorriso e disse que sim… Câmbio PowerShift num carro compacto, bola dentro, Ford. 😉 (A conversa de Punta foi quase uma tortura de longos minutos sobre o atraso tecnológico dos nossos carros e a baixa sofisticação de “acessórios” premium para ele. Parece que surtiu efeito. Ainda mais agora com o motor de injeção direta!!!).

Confira abaixo as informações divulgadas pela Ford sobre o novo Duratec 2.0 Direct Flex e na Fan Page do Pardal no Facebook você pode ver mais fotos.

A Ford é a primeira do mundo a introduzir a tecnologia de injeção direta de combustível para motores flex, com o Novo Focus Sedan 2014, equipado com o exclusivo Duratec 2.0 Direct Flex. Essa tecnologia representa uma nova geração de motores flex, desenvolvida especialmente para o Brasil, e é mais uma prova do pioneirismo da Ford em motores.

Henry Ford criou o primeiro motor abastecido com álcool ou gasolina em qualquer proporção e em 1908 lançou o pioneiro Modelo T Flex. No Brasil, a Ford foi uma das primeiras a lançar um veículo totalmente a álcool. Em 2002, apresentou o primeiro protótipo flex, mostrando suas pesquisas nessa área.

IMG 4970 copy

Desde então, introduziu seguidos aprimoramentos que contribuíram para aumentar a eficiência e economia desse tipo de aplicação. A família Zetec RoCam inovou com o aumento da taxa de compressão para favorecer a queima do etanol. A linha Duratec trouxe bloco e cabeçote em alumínio fundido, com redução do peso do conjunto. Os novos motores Sigma já nasceram dentro do conceito flex, com diversas inovações.

Recentemente, a Ford lançou o motor Sigma 1.6 com duplo comando independente e variável de válvulas (TiVCT) e o Sigma 1.5 Flex. Entre outros avanços, ambos introduziram o sistema de partida a frio Ford Easy Start, que dispensa o tanquinho extra de gasolina.

IMG 4974 copy

Agora, a injeção direta de combustível flex do motor Duratec Direct 2.0, que equipa o Novo Focus Sedan, chega como mais um avanço que otimiza o rendimento do motor para o aproveitamento máximo de energia, com eficiência e economia. Desenvolvido pela engenharia brasileira, esse sistema permite um gerenciamento eletrônico apurado da dosagem de combustível no motor. Outra inovação é o sistema de ignição, que garante uma partida rápida mesmo em condições extremas.

Obra de arte de engenharia

O funcionamento dessa tecnologia é uma verdadeira obra de arte de engenharia. O combustível abastecido no tanque é conduzido por bombas (elétrica e mecânica de alta pressão) até as flautas onde estão os bicos injetores. O duplo comando independente e variável de válvulas controla o fluxo da injeção em alta pressão dentro do cilindro, que opera com uma taxa de compressão de 12:1.

O combustível é borrifado diretamente na câmara de combustão. Com o auxílio de sensores inteligentes, ele é queimado no ponto, na quantidade e no momento ideal para extrair o máximo de energia e transformá-la em trabalho, que se traduz em torque e potência para o veículo. Junto com a ação do catalisador, esse processo garante também um nível reduzido de emissões.

IMG 4977 copy

Os materiais e revestimentos especiais utilizados em todo o sistema de alimentação e combustão, incluindo bomba, tubos e válvulas, protegem os componentes contra a ação de oxidação gerada pelo etanol. Essa eficiência é resultado de um trabalho minucioso de engenharia e calibração para a adequação do motor aos dois tipos de combustíveis presentes no tanque.

A Ford assumiu o desafio de introduzir a injeção direta na aplicação flex e o resultado é um processo de combustão mais eficiente, que gera mais potência e economia, levando o desempenho dos motores flex a um novo patamar.

O Novo Focus Sedan 2014 será equipado com o motor Duratec 2.0 Direct Flex, o primeiro flex do mundo com injeção direta de combustível, para oferecer o máximo aproveitamento de potência e economia. Essa tecnologia é combinada também com duplo comando de válvulas independente e variável (Ti-VCT), fazendo do Duratec 2.0 Direct Flex um dos motores mais potentes, eficientes e refinados da sua classe e um dos modelos de quatro cilindros sem sobrealimentação mais avançados que a Ford já produziu.

IMG 4979 copy

O novo motor reforça a estratégia da Ford de produzir motores líderes em economia de combustível sem sacrificar o prazer de dirigir. Ele gera uma potência de 178/175 cv (a 6.500 rpm) e torque de 221/211 Nm (a 4.500 rpm), com etanol e gasolina, respectivamente, um ganho de 30 cv e de 30 Nm com etanol em comparação com o Duratec 2.0 anterior.

A injeção direta aumenta a economia de combustível e o desempenho, entregando a quantidade precisa de combustível dentro da câmara de combustão. O sistema avançado de injeção direta trabalha em conjunto com o Ti-VCT, que sempre ajusta o tempo de válvulas para a melhor configuração possível, seja para ótima performance ou para a o baixo consumo de combustível, dependendo da maneira que o motorista estiver dirigindo.

IMG 4982 copy

O motor 2.0 Direct Flex é mais um exemplo da liderança da Ford em economia de combustível, com o uso de tecnologias avançadas para extrair o máximo de potência sem aumentar a cilindrada. Ele oferece um nível surpreendente de economia de combustível e emissões, com a flexibilidade e o desempenho esperados de um motor de classe mundial.

“Combinando a injeção direta e o Ti-VCT, conseguimos dar um grande passo na economia de combustível e desempenho”, diz Cristiano Pedreira, gerente de Calibração de Motores da Ford. “Estamos atendendo as metas da nossa estratégia global de motores e agora temos mais um modelo de ponta na nossa linha, desenvolvido exclusivamente para o Brasil.”

Tecnologias avançadas

O Duratec 2.0 Direct Flex tem a configuração DOHC, com dois eixos-comando: um para abrir as válvulas de admissão e outro para abrir as válvulas de exaustão. Tradicionalmente, os eixos só tem a capacidade de abrir as válvulas em um ponto fixo, definido no projeto do motor. Com o sistema de comando variável, os eixos podem ser girados levemente em relação à sua posição inicial para que o tempo de abertura e fechamento de válvulas seja avançado ou retardado.

O Ti-VCT aplica essa tecnologia tanto no eixo de admissão como no de exaustão. O ponto de abertura de cada válvula é acionado por um sistema de óleo em alta pressão, controlado por solenóides eletrônicos. Cada eixo conta com um solenóide de controle e pode ser avançado ou retardado independentemente do outro, conforme as condições de operação do motor, proporcionando um excepcional controle de tempo de válvula.

IMG 5014 copy

“Esse duplo controle via Ti-VCT nos ajuda a eliminar várias restrições dos sistemas de admissão e exaustão”, diz Pedreira. “O motorista vai sentir mais torque em baixa rotação e maior economia de combustível. E há também outros benefícios que ele não vai perceber, como a redução do nível de emissões.”

O controle do combustível é feito por um sistema de injeção que entrega uma fina névoa de combustível diretamente em cada cilindro, com precisão. Ao contrário da injeção eletrônica convencional, em que o combustível é borrifado no sistema de admissão, a injeção direta entrega o combustível já dentro da câmara de combustão, exatamente onde ele vai ser queimado.

Esse sistema permite que o motor opere com uma taxa de compressão alta, de 12:1, aumentando a potência e eficiência. O combustível é injetado dentro dos cilindros a uma pressão de até 2400 psi, cerca de 40 vezes maior que no sistema de injeção PFI convencional.

“O sistema de injeção direta cria um spray de etanol/gasolina incrivelmente fino que é injetado diretamente na câmara de combustão no momento preciso, eliminando diversos empecilhos dos sistemas de alimentação convencionais”, explica. “É um sistema aparentemente simples, mas exigiu meses de testes e simulações em computador até chegar ao padrão e ao ponto exato de injeção, assim como ao desenho ideal da câmara de combustão.”

Os injetores de combustível de alta pressão usam solenóides internos para comandar com precisão a entrada e o corte de combustível. O combustível passa por seis finos orifícios em cada injetor, criando um spray que é direcionado para otimizar a economia de combustível e as emissões. Um sofisticado sistema de controle eletrônico varia o tempo e a intensidade na entrega de combustível de acordo com as condições de operação do motor.

Atenção aos detalhes

Complementando os avanços dos sistemas de injeção e comando de válvulas, cada aspecto do motor foi revisado para aumentar a economia de combustível. A redução do atrito interno e do peso total foram os focos principais dessa estratégia. Para identificar as áreas onde a redução de atrito traria melhor resultado foi usada modelagem por computador.

IMG 5013 copy

As válvulas passam por um tratamento para garantir uma superfície lisa. As camisas dos pistões recebem um revestimento especial de baixa fricção e a bomba de óleo teve sua capacidade dimensionada para atender com precisão as necessidades do motor. Além disso, é utilizado óleo de baixa viscosidade para menor fricção.

O atrito nos acessórios também foi reduzido com uma série de ações, incluindo direção com assistência elétrica e compressor do ar-condicionado com um sistema que dispensa o tensionador de correia. Uma polia especial permite que o alternador e a bomba de água operem com uma tensão na correia muito menor que o usual, reduzindo as perdas por atrito.

Para reduzir ao máximo o peso total do motor, o bloco, cabeçote e o cárter – tradicionalmente, os componentes mais pesados – são fundidos em alumínio e ganharam nervuras para aumentar a resistência e a durabilidade. Os pistões também são fundidos em alumínio, ajudando a reduzir a massa oscilante.

O coletor de admissão é produzido em material composto para reduzir o peso e, ao mesmo tempo, aumentar a eficiência térmica e as características de torque.

Partida a frio

O motor Duratec 2.0 Direct Flex conta também com um sistema avançado de partida a frio que elimina a necessidade de tanque adicional de gasolina ou aquecimento. Desenvolvida pela Ford, essa tecnologia utiliza o trabalho de compressão do motor para aquecer a câmara de combustão antes da primeira injeção de etanol, otimizando a partida a frio em qualquer condição.

O sistema garante partida rápida em condições críticas de baixa temperatura (até -10°C), mesmo com 100% de etanol no tanque, melhora o rendimento do motor e garante a boa dirigibilidade antes mesmo de o motor atingir a temperatura ideal de funcionamento. Além disso, é livre de manutenção e projetado para durar por toda a vida útil do veículo.

Ford New Fiesta 2014 PowerShift

New Fiesta Hatch 2014  23

Foi para Foz do Iguaçu que a Ford convidou o Pardal Carioca para conhecer o New Fiesta 2014 com duas grandes novidades. A primeira é que ele agora deixa de ser importado do México e passa a ser produzido no interior de São Paulo. A segunda é que, finalmente, o melhor hatch do mercado passa a ter o cambio powershift.

Do México continuará a vir o New Fiesta sedan e da fabrica da Bahia continuará a vir Fiesta Rocam. O fato da Ford nacionalizar o New Fiesta não quer dizer que o carro passou a ter menos qualidade. Muito pelo contrario. A fabrica do interior de São Paulo recebeu investimentos para, por exemplo, oferecer o mesmo tipo de pintura que é feito na Europa.

New Fiesta Hatch 2014  8

A pintura é chamada de tricoat e vem com três camadas de tinta para dar uma profundidade incrível ao carro. O New Fiesta oferece duas cores com tricoat: azul Califórnia e vermelhos Vermont. Estas cores tem sobrenomes bacanas, mas eu prefiro chamar e de azul e vermelho lindão. 🙂

New Fiesta Hatch 2014  9

Entre as novidades mais visíveis, além da cor lindona, tem a mudança da grade dianteira, para adequar a nova identidade global da Ford, e também a aposentadoria precoce das luzes diurnas de LED, que deram espaço a farol de milha. Esta ultima mudança eu realmente não gostei, mas o consumidor brasileiro prefere, vence a maioria, ainda que ela esteja errada! 🙂

A melhor novidade é a adoção do mesmo cambio automatizado da EcoSport. O PowerShift caiu muito bem no New Fiesta 1.6. As trocas de marcha são suaves e quase imperceptíveis. Durante o test drive, que nos levou através da usina de Itaipú, conclui que o New Fiesta continua sendo um hatch premium, com ótimo acerto de suspensão, baixo nível de ruído e ótimo pacote de equipamentos.

Entre os equipamentos o hill assist é o que deve alegrar a maioria dos motoristas com pouco experiência. Ninguém jamais fala a respeito deste equipamento, mas ele é uma mão na roda, se o trocadilho é permitido. Se você não o conhece, o hill assist é o assistente de partida em rampa. Ele segura o carro e não o deixa rolar na hora que você larga o freio e vai acelerar para tirar o carro da inércia.

Confira abaixo mais sobre o carro.

Como principais diferenciais, o New Fiesta se destaca na categoria pelo nível de segurança, tecnologia, conforto e economia. Além de ser mais potente e ter o melhor preço, é o único, conforme a versão, que oferece sete airbags, bancos de couro, controle eletrônico de estabilidade e tração, assistente de partida em rampa e nível A de consumo de combustível.

Assistência ativa

Para a segurança ativa o New Fiesta conta com o sistema AdvanceTrac, formado pelo controle eletrônico de estabilidade e tração que atua junto com o freio ABS. Para isso, dispõe de uma série de sensores: nas rodas, carroceria, volante e barra de direção.

O sistema entra em ação tanto em situações de sub ou sobre-esterçamento, corrigindo a trajetória do veículo para garantir o seu controle e tração. O assistente de partida em rampa é outro recurso de segurança que impede o carro de deslizar para frente ou para trás nas saídas em pista inclinada.

Caso ocorra uma frenagem brusca, o sistema também ativa automaticamente as luzes de emergência para alertar os motoristas que vêm atrás.

Partida inteligente

O New Fiesta 2014 traz ainda duas grandes inovações no sistema de partida nos motores 1.5 e 1.6. Ele é o primeiro carro da marca a utilizar o Ford Easy Start, sistema de partida a frio que elimina a necessidade do tanquinho auxiliar de gasolina. O sistema conta com aquecedores na linha de combustível que são ativados automaticamente quando se abre a porta do veículo, por meio de sensores.

Porém, eles só entram em operação quando necessário, dependendo da temperatura ambiente (abaixo de 20°C) e do combustível presente no tanque, o que é informado ao motorista por uma luz no painel.

O carro tem também um sistema de partida inteligente, chamado OTIS (“One Turn Integrated Start”), de três estágios. O primeiro movimento da chave liga os acessórios e, se a lâmpada de aquecimento do combustível estiver acesa, deve-se esperar ela apagar. Então, pressiona-se o pedal da embreagem antes de levar a chave ao estágio 3 e dar a partida. Basta um leve toque para acionar o sistema eletrônico.

“O acionamento do pedal de embreagem para dar a partida é um recurso de segurança já usado em alguns modelos da Ford que agora está sendo estendido para os demais. É um sistema simples, que evita acidentes devido à partida do carro com uma marcha engatada”, diz Guilherme Campos, supervisor de Projetos da Ford.

A versão automática traz a mesma segurança e só permite a partida com a alavanca na posição P (Park).

Transmissão PowerShift

A transmissão automática PowerShift de seis velocidades do New Fiesta é a mais moderna do segmento e uma das responsáveis pela sua incomparável economia de combustível, com padrão A de classificação do INMETRO/CONPET.

New Fiesta Hatch 2014 Interna 8

A tecnologia de dupla embreagem, usada pela primeira vez em compactos no Brasil, garante trocas suaves e sem interrupção de torque, com grande eficiência, silêncio, conforto e durabilidade. E também permite a seleção de diferentes modos de condução, de acordo com o estilo do motorista.

No modo SelectShift é possível fazer trocas sequenciais, agregando o conforto do câmbio automático à esportividade de um manual. Há ainda o recurso “Live Drive”, que pode ser usado mesmo no modo D para se fazer uma redução e ultrapassagem.

New Fiesta Hatch 2014 Detalhe 8

“A transmissão PowerShift é muito superior a qualquer outra automática ou automatizada existente no mercado. O seu tempo de engate ocorre em milésimos de segundo e as seis marchas permitem um escalonamento eficiente, com a primeira mais curta e a última mais longa para combinar força e economia”, afirma Campos.

Conectividade

O New Fiesta vem equipado nas versões SE e Titanium com o exclusivo sistema multimídia SYNC, com comandos de voz em português, desenvolvido pela Ford em parceria com a Microsoft. Ele permite acesso ao telefone celular por conexão Bluetooth para a realização de chamadas, sem a necessidade de usar as mãos. Além disso, transforma mensagens de texto em áudio, realiza transferência automática de agenda e toca músicas do celular. Além de tocador de CD/MP3, seu sistema de som tem conexão para iPod, USB e seis alto-falantes.

New Fiesta Hatch 2014 Interna 9

O New Fiesta 2014 lança também a chave de segurança MyKey – item até então só disponível em veículos do segmento de luxo. Com ela, é possível programar a velocidade máxima do veículo, o volume do som, avisos sonoros e impedir o desligamento dos sistemas de assistência ativa. A sua programação é feita através da tela do SYNC.

New Fiesta Hatch 2014 Chave

New Fiesta S e SE 1.5

O New Fiesta S 1.5, modelo de entrada da linha, é a principal opção do segmento de compactos em sua faixa de preço. Além de ser mais avançado e equipado, ainda traz uma considerável redução de preço em comparação com o modelo anterior, que era importado do México. Ele tem transmissão manual e os mesmos itens de aparência externa dos demais modelos da linha. Seu motor Sigma 1.5 16V, de 111/107 cv, conta com sistema de partida Ford Easy Start.

O modelo já vem equipado com: duplo airbag, freios ABS com EBD, direção elétrica, ar-condicionado, travas, espelhos e vidros dianteiros elétricos, sistema de som MyConnection Gen. 3 com conexão USB e Bluetooth, alarme volumétrico, rodas de 15 polegadas com calota integral, maçanetas e retrovisores na cor da carroceria e 3 anos de garantia, por R$38.990.

O New Fiesta 1.5 conta também com a versão SE, que inclui rodas de liga leve de 15 polegadas, farol de neblina e pacote de acabamento SE, por R$42.490.

New Fiesta SE 1.6

O New Fiesta SE 1.6 é um modelo que agrega um conjunto de tecnologias. Ele traz o motor Sigma 1.6 16V TiVCT, com duplo comando variável e independente de válvulas, de 130/125 cv, e a opção de transmissão manual ou automática PowerShift de seis velocidades e dupla embreagem.
Além disso, vem com controle eletrônico de estabilidade e tração (AdvanceTrac), assistente de partida em rampa, duplo airbag, freio ABS com EBD, ar-condicionado digital, vidros elétricos com abertura e fechamento global, sistema SYNC com comandos de voz em português e controles no volante e rodas de alumínio de 15 polegadas.

New Fiesta Hatch 2014 Interna 15

Com transmissão manual, o New Fiesta SE 1.6 sai por R$45.490. Por mais R$3.500 (ou R$48.990), é possível levar a versão com transmissão PowerShift.

“Depois de migrar para um motor acima de 1.0, o próximo passo do consumidor é a transmissão automática. Com o New Fiesta, a Ford torna esse desejo mais acessível, por uma diferença de R$3.500”, diz Andre Leite.

New Fiesta Titanium 1.6

O New Fiesta Titanium 1.6 é a versão topo de linha. Completo, ele oferece o máximo em tecnologia, conforto, desempenho e segurança na categoria, além de acabamento exclusivo. Muitos de seus itens só são encontrados em veículos de segmentos superiores.

Ele tem motor Sigma 1.6 16V TiVCT, de 130/125 cv, e transmissão PowerShift opcional. Além dos equipamentos encontrados no modelo SE, vem com sete airbags, bancos e volante em couro, controle automático de velocidade, sensor de estacionamento, sensor de chuva, acendimento automático dos faróis, retrovisor interno eletrocrômico e rodas de alumínio de 16 polegadas.

Ele chega com preço de R$51.490, na versão manual, e R$54.990 na versão PowerShift.

Manutenção econômica

O New Fiesta é mais econômico também na hora da manutenção. Segundo levantamentos feitos pelo Cesvi Brasil e pelas publicações que hoje são usadas como referência nessa área, a cesta de peças de reposição do modelo da Ford chega a ser quase 60% mais barata que as da concorrência.

As revisões contam com o sistema de preço fixo da Ford, até os 60.000 km, e têm os mesmos valores da linha Fiesta Rocam. Além disso, a marca oferece um programa de fidelidade que dá descontos progressivos para os clientes que fazem todas as revisões.

Para completar, a Ford oferece um plano de seguro diferenciado para o New Fiesta, com preço médio de R$1.855 em São Paulo. A cobertura, oferecida pelos Seguros Ford em parceria com a Mapfre, inclui indenização integral pelo valor do carro 0 km nos 12 meses iniciais, sem perfil do condutor e com garantia de serviços com peças originais Ford.

Especificações Técnicas

Modelo 1.6 Automático PowerShift

Carroceria: Hatch 5 portas
Motor: Ford Sigma 1.6 16V TiVCT Flex
Número e disposição dos cilindros: 4 em linha
Diâmetro do cilindro: 79,0 mm
Curso dos êmbolos: 81,4 mm
Cilindrada: 1.6 (1.597 cm³)
Potência: 130 cv a 6.500 rpm (etanol) / 125 cv a 6.500 rpm (gasolina)
Torque: 157 Nm a 5.000 rpm (etanol) / 151 Nm a 4.250 rpm (gasolina)
Rotação de marcha lenta: 780 rpm
Rotação máxima: 6.720 rpm
Relação de compressão: 12,0:1

Transmissão
Automática: PowerShift DPS6
Número de marchas: 6 à frente e ré
Relação de marchas
1ª: 3,917:1
2ª: 2,429:1
3ª: 1,436:1
4ª: 1,021:1
5ª: 0,867:1
6ª: 0,702:1
Ré: 3,507:1
Relação final
Para 1ª, 2ª, 5ª e 6ª: 4,105:1
Para 3ª, 4ª e ré: 4,588:1

Desempenho
Aceleração 0–100 km/h (s): 12,3 (gasolina)/ 12,1 (álcool)
Velocidade máxima: 190 km/h
Consumo (km/l) 
Cidade (NBR 6601): 11,4 (gasolina)/ 7,9 (etanol)
Estrada (NBR 7024): 13,9 (gasolina)/ 9,9 (etanol)
(Números ajustados com base no CONPET)

Capacidades
Peso do veículo em ordem de marcha (kg): 1.153
Capacidade de carga (kg): 402

Modelo 1.6 Manual

Motor: Ford Sigma 1.6 16V TiVCT Flex

Transmissão
Manual: IB5
Número de marchas: 5 à frente e 1 ré
Relação de marchas
1ª: 3,846:1
2ª: 2,038:1
3ª: 1,281:1
4ª: 0,951:1
5ª: 0,756:1
Ré: 3,615:1
Relação final: 4,07:1

Desempenho
Aceleração 0–100 km/h (s): 12,3 (gasolina)/ 12,1 (álcool)
Velocidade máxima: 190 km/h
Consumo (km/l) 
Cidade (NBR 6601): 12,0 (gasolina)/ 8,0 (etanol)
Estrada (NBR 7024): 14,3 (gasolina)/ 10,0 (etanol)
(Números ajustados com base no CONPET)

Capacidades
Peso do veículo em ordem de marcha (kg): 1.126
Capacidade de carga (kg): 429

Modelo 1.5

Motor: Ford Sigma 1.5 Flex N-VCT
Número e disposição dos cilindros: 4 em linha
Diâmetro do cilindro: 79,0 mm
Curso dos êmbolos: 76,4 mm
Cilindrada: 1.5 (1.499 cm³)
Potência: 111 cv a 5.500 rpm (etanol) / 107 cv a 6.500 rpm (gasolina)
Torque: 147 Nm a 4.250 rpm (etanol) / 145 Nm a 4.250 rpm (gasolina)
Rotação de marcha lenta: 780 rpm
Rotação máxima: 6.720 rpm
Relação de compressão: 11,1:1

Transmissão
Manual: IB5
Número de marchas: 5 à frente e 1 ré
Relação de marchas
1ª: 3,846:1
2ª: 2,038:1
3ª: 1,281:1
4ª: 0,951:1
5ª: 0,756:1
Ré: 3,615:1
Relação final: 4,07:1

Desempenho
Aceleração 0–100 km/h (s): 12,2 (etanol) / 12,7 (gasolina)
Velocidade máxima: 180 km/h
Consumo (km/l) 
Cidade (NBR 6601): 10,8 (gasolina)/ 7,8 (etanol)
Estrada (NBR 7024): 13,7 (gasolina)/ 9,6 (etanol)
(Números ajustados com base no CONPET)

Capacidades
Peso do veículo em ordem de marcha (kg): 1.108
Capacidade de carga (kg): 447

Características gerais
Direção: EPAS, com assistência elétrica

Diâmetro de giro (m): 10,1
Freio: Discos dianteiros e tambores traseiros, com ABS e EBD

Pneus: 195/55R15 ou 195/50R16
Rodas: 6,0×15″ de aço ou liga leve/ 6,5×16″, de liga leve

Dimensões externas (mm)
Comprimento: 3.969
Largura com espelhos: 1.978
Espelhos dobrados: 1.787
Altura em ordem de marcha: 1.464
Distância entre-eixos: 2.489
Balanço traseiro: 662

PBT (kg): 1.555
Tanque de combustível (L): 51,6
Porta-malas (L): 281

New Fiesta Hatch 2014 Detalhe 1

Veja mais sobre o New Fiesta 2014

Automotive Business

Autozine

Car and Driver (New Fiesta 1.6)  

Car and Driver (New Fiesta 1.5)

CarPlace

Carpress

Carro Online

Car Blog (compartivo com Gol e Palio)

Car Blog (New Fiesta PowerShift)

Jalopnik

Fotos do carro você confere no Álbum de Fotos do Pardal Carioca no Facebook.